Nietzsche e o debate sobre a Aletheia grega

Autores

  • Dagmar Manieri Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.53000/cpa.v20i29.2226

Palavras-chave:

Aletheia, Mythos, Filosofa, Transvaloração, Valor de verdade

Resumo

Este artigo tem como objetivo um estudo dos embates interpretativos sobre a aletheia na Grécia antiga. Utilizamos as teorizações de Nietzsche, Heidegger e Detienne que trazem os conceitos de transvaloração, apropriação e secularização, respectivamente. Neste campo de confronto, mythos, lógos e veritas surgem como termos que disputam o valor de verdade. Segundo o historiador Marcel Detienne, a aletheia sofre um processo de transformação de sentido no contexto histórico da formação da pólis grega, onde o poeta é substituído pelo filósofo como agente portador do discurso de verdade. O pensamento de Nietzsche parece concordar, em parte, com esse argumento da secularização; já Heidegger situa a transformação do conteúdo da aletheia no Imperium romano.

 

Biografia do Autor

Dagmar Manieri, Universidade Federal de São Carlos

Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). 

Referências

BRISSON, Luc. Introdução à filosofia do mito (I – Salvar os mitos). 2ª Ed. Tradução José C. Baracat Junior. São Paulo: Paulus, 2014.

BURNETT, Henry. Para ler “O nascimento da tragédia” de Nietsche. São Paulo: Edições Loyola, 2012. (70 p.)

CASSIRER, Ernst. Linguagem e mito. Tradução de J. Guinsburg, Miriam Schnaiderman. São Paulo: Perspectiva, 2009. (127 p.)

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. 2ª Ed. Tradução de Luiz Orlandi, Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 2006. (437 p.)

DELEUZE, Gilles. Lógica do sentido. 5ª Ed. Tradução de Luiz R. S. Fortes. São Paulo: Perspectiva, 2009. (342 p.)

DETIENNE, Marcel. Mestres da verdade na Grécia arcaica. Tradução de Ivone C. Benedetti. São Paulo: wmf Martins Fontes, 2013. (174 p.)

ELIADE, Mircea. Mito e realidade. Tradução de Pola Civelli. São Paulo: Perspectiva, 2011. (179 p.)

FINLEY, Moses I. Economia e sociedade na Grécia antiga. 2ª Ed. Tradução de Marylene P. Michael. São Paulo: wmf Martins Fontes, 2013. (366 p.)

FINLEY, Moses I. O mundo de Ulisses. Tradução de Armando Cerqueira. Lisboa: Editorial Presença, 1982. (143 p.)

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 3ª Ed. Tradução de Luiz F. B. Neves. Rio de Janeiro: Editora Forense-Universitária, 1987. (239 p.)

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979. (296 p.)

GAZOLLA, Rachel. Pensar mítico e filosófico: estudos sobre a Grécia antiga. São Paulo: Edições Loyola, 2011.

GORDON, Haim; GORDON, Rivca. Heidegger on truth and myth: a rejection of postmodernism. New York: Peter Lang Publishing, 2006. (305 p.)

HAAR, Michel. Nietzsche et La métaphysique. Paris: Gallimard, 1993.

HARTOG, François. Os antigos, o passado e o presente. Tradução de Sonia Lacerda, Marcos Veneu, José O. Guimarães. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2003. (205 p.)

HATAB, Lawrence J. Genealogia da moral de Nietzsche: uma introdução. Tradução Nancy Juozapavicius. São Paulo: Madras, 2010. (304 p.)

HEIDEGGER, Martin. Parmênides. Tradução de Sérgio M. Wrublevski. Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco; Petrópolis: Editora Vozes, 2008. (238 p.)

HEIDEGGER, Martin. Nietzsche. 2ª Ed. Tradução Marco A. Casanova. Forense Universitária, 2014. (817 p.)

JAEGER, Werner. Paideia: a formação do homem grego. Tradução de Artur M. Parreira. São Paulo: wmf Martins Fontes, 2011. (1413 p.)

MARQUES, António. A filosofia perspectivista de Nietzsche. São Paulo: Discurso Editorial; Ijuí: Editora UNIJUÍ, 2003. (205 p.)

NATORP, Paul. Teoria das ideias de Platão: uma introdução ao idealismo I. Tradução de Vasilis Politis e John Connolly. São Paulo: Paulus, 2012a. (414 p.)

NATORP, Paul. Teoria das ideias de Platão: uma introdução ao idealismo II. Tradução de Vasilis Politis. São Paulo: Paulus, 2012b. (543 p.)

NIETZSCHE, Friedrich W. A vontade de poder. Tradução de Marcos S. P. Fernandes, Francisco J. D. de Moraes. Rio de Janeiro: Contraponto Editora, 2008. (513 p.)

NIETZSCHE, Friedrich W. Escritos sobre a História – Fatum e História/ Considerações intempestivas II/ Fragmentos póstumos e aforismos. Tradução de Noéli C. de M. Sobrinho. Rio de Janeiro: Editora da PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2005b. (360 p.)

NIETZSCHE, Friedrich W. Genealogia da moral: uma polêmica. 8ª Ed. Tradução de Paulo C. de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2005a. (177 p.)

NIETZSCHE, Friedrich W. O anti-Cristo. 5ª Ed. Tradução de Carlos J. de Menezes. Rio de Janeiro: Livraria Camões; Lisboa: Guimarães Editores, 1978. (118 p.)

NIETZSCHE, Friedrich W. O nascimento da tragédia ou helenismo e pessimismo. Tradução J. Guinsburg. São Paulo: Companhia das Letras, 2007. (175 p.)

NIETZSCHE, Friedrich W. A visão dionisíaca do mundo. Tradução de Marcos S. P. Fernandes e Maria C. dos S. de Souza. São Paulo: Martins fontes, 2005c. (93 p. )

NIETZSCHE, Friedrich W. Sabedoria para depois de amanhã. Tradução de Karina Jan-nini. São Paulo: Martins Fontes, 2005d. (303 p.)

RUTHVEN, K. K. O mito. Tradução de Esther E. Horivitz. São Paulo: Perspectiva, 2010. (120 p)

SAFRANSKI, Rüdiger. Nietzsche: biografia de su pensamiento. Barcelona: Fabula TusQuets Editores, 2004. (408 p.)

SNELL, Bruno. A cultura grega e as origens do pensamento europeu. São Paulo: Perspectiva, 2009.

SPINELLI, Miguel. Questões fundamentais da filosofia grega. São Paulo: Edições Loyola, 2006. (375 p.)

VERNANT, Jean-Pierre. Mito e pensamento entre os gregos. 2ª Ed. Tradução de Haiganuch Sarian. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 2008. (504 p.)

ZUBARAN, Luiz C. A gênese do conceito de verdade na filosofia grega. Canoas: Editora da ULBRA, 2004.

WEBER, Paulina R. (et. al.). Entre hermenêuticas. México: Facultad de Filosofía y Letras, 2004. (196 p.)

FRANCALANCI, Carla. Considerações sobre a doxa no Livro III da República. Revista de Filosofia Antiga. Vol. 4 n.1, 2010. Departamento de Filosofia da USP. (retirado em 01/11/2015 de www.revistas.usp.br/filo-sofiaantiga).

PEREIRA, Miguel B. O regresso do mito no diálogo entre E. Cassirer e M. Heidegger. Revista Filosófica de Coimbra. Vol. 4 n. 7 março de 1995, p. 3-66. (Retirado em 25/10/2015 de www.uc.pt/fluc/dfci/public/publicaco-es)

SOARES, Lucas. Esbozo de uma discrepância: Platón y La poesia tradicional. Kléos – Revista de Filosofia Antiga. Vol. 7-8 n. 7-8, Julho 2003-Julho 2004, p. 71-93. Programa de Estudos em Filosofia Antiga/Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. (retirado em 01/11/2015 de www.pragma.ifcs.ufrj.br/kleos).

Downloads

Publicado

2016-03-10

Como Citar

Manieri, D. (2016). Nietzsche e o debate sobre a Aletheia grega. Revista De Estudos Filosóficos E Históricos Da Antiguidade, 20(29). https://doi.org/10.53000/cpa.v20i29.2226