Movimentos em família

Autores

  • Ana Claudia Marques Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.53000/rr.v9i1.2074

Palavras-chave:

Sertão de Pernambuco, Mato Grosso, Família, Mobilidade

Resumo

Este artigo explora diferentes dinâmicas de parentesco e família em correlação a formas de deslocamento e alternância de moradia, consolidadas nos universos sociais do sertão de Pernambuco e do meio-norte do Mato Grosso. O propósito é mostrar, com o apoio de dados etnográficos, que os significados, funções e abrangência atribuídos à família estendem-se ou restringem-se, multiplicam-se ou deslocam-se ao longo das trajetórias das pessoas, e essa maleabilidade é testemunha de sua pertinência e vitalidade nos planos das ideias, da moral, dos sentimentos, bem como das relações e das práticas.

Biografia do Autor

Ana Claudia Marques, Universidade de São Paulo

Professora do Departamento de Antropologia na Universidade de São Paulo.

Referências

ALMEIDA, L. S. Gaúchos, festas e negócios: o agronegócio da soja no Meio-Norte mato-grossense. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2013.

ALMEIDA, M. W. B. d. Redescobrindo a Família Rural Brasileira. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 1(1), p. 66-83, 1986.

ASTUTI, R. Kindreds and descent groups: new perspectives from Madagascar. In: CARSTEN, J. (Ed.) Cultures of relatedness. New approaches to the tudy of kinship. Cambridge, New York, Melbourne: Cambridge University Press, 2000.

BOUQUET, M. Reclaiming English kinship: Portuguese refractions of British kinship theory. Manchester: Manchester University Press, 1993.

COMERFORD, J. C. Como uma família: sociabilidade, territórios de parentesco e sindicalismo rural. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.

DESCONSI, C. A marcha dos pequenos proprietários rurais:trajetórias de migrantes do Sul do Brasil para o Mato Grosso. Rio de Janeiro: E-papers, 2011.

FERNANDEZ, A. J. C. Do cerrado à Amazônia: as estruturas sociais da economia da soja em Mato Grosso. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2007.

FONSECA, C. Família, fofoca e honra: etnografia das relações de gênero e violência em grupos populares. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004.

HAESBAERTH, R. Dés-territorialização e identidade. A rede gaúcha no Nordeste. Niterói: Ed. UFF, 1997.

INGOLD, T. Lines: a brief history. London: Routledge, 2007.

INGOLD, T. Being alive: essays on movement, knowledge and description. London: Routledge, 2011.

INGOLD, T. Stories against classification: transport, wayfaring and the integration of knowledge. In: BAMFORD, S.; LEACH, J. (Ed.) Kinship and Beyond. The genealogical model reconsidered. New York. Oxford: Berghahn Books. 2009.

MARQUES, A. C. Founders, ancestors, and enemies: memory, faily, time, and space in the Pernambuco sertão. Journal of the Royal Anthropological Institute (N.S.), 19, p. 716-733, 2013a.

MARQUES, A. C. Pioneiros de Mato Grosso e Pernambuco. Novos e velhos capítulos da colonização no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 38(83), p. 85-103, 2013b.

MARQUES, A. C. Actas del X Congreso Argentino de Antropologia Social. Paper presented at the X Congreso Argentino de Antropologia Social, 2011.

MARQUES, A. C. Intrigas e questões: vingança de família e tramas sociais no sertão de Pernambuco. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

MARQUES, A. C. V.; Jorge MATTAR. O que se diz, o que se escreve. Etnografia e trabalho de campo no sertão de Pernambuco. Revista de Antropologia, 48(1), p. 37-74, 2005.

PALMEIRA, M. A., Alfredo Wagner Berno de. A invenção da migração: relatório de pesquisa, Projeto Emprego e Mudança Sócio-Econômica no Nordeste, v. 5. Rio de Janeiro: Museu Nacional/PPGAS, 1977.

PRESTES, C. A. Os trabalhadores e a formação da cidade: o caso do Mato Grosso. Rio de Janeiro: Unpublished M. A., Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2010.

RUMSTAIN, A. Peões no trecho. Trajetórias e estratégias de mobilidade no Mato Grosso. Rio Janeiro: E-papers, 2012.

SIMMEL, G. e WOLFF, K. H. The sociology of Georg Simmel. Glencoe, Ill: Free Press. 1950.

STRATHERN, M. 1989 debate - The concept of society is theoretically obsolete - part 1 The presentations - For the motion (1). In: INGOLD, T. (Ed.) Key debates in Anthropology: London and New York: Routledge, 1996.

VILLELA, J. L. M. O povo em armas: violência e política no sertão de Pernambuco. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004.

WOORTMANN, K. Casa e Família Operária. Anuário Antropológico, 80, p. 119-150, 1982.

Downloads

Publicado

2015-10-10

Como Citar

Marques, A. C. (2015). Movimentos em família. RURIS (Campinas, Online), 9(1). https://doi.org/10.53000/rr.v9i1.2074

Edição

Seção

Dossiê: Movimentos e práticas de circulação em coletividades rurais