Dinâmicas comunitárias e espirituais

a rede esotérico-umbandista entre comunidades negras rurais às margens do Rio Itapemirim

Autores

  • Diogo Bonadiman Goltara Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.53000/rr.v9i1.2077

Palavras-chave:

Quilombos, Umbanda, Território, Espiritualidade

Resumo

Na tríplice fronteira entre os estados do Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, inúmeras comunidades negras rurais, apesar do confinamento territorial em função das condições degradantes de trabalho baseadas nas relações escravocratas, relacionam-se por meio de prestações rituais a partir de vínculos com entidades espirituais. Argumenta-se que a parceria mítica entre pretos-velhos e caboclos é um modelo para a simultaneidade e interdependência das relações verticais (irmandades-entidades) e horizontais (comunidades entre si). A partir do conceito local de corrente espiritual, esses vínculos mostram-se fundamentais para se pensar uma concepção de ocupação territorial distinta da propriedade privada.

Biografia do Autor

Diogo Bonadiman Goltara, Universidade de Brasília

Doutor em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade de Brasília.

Referências

ALVES, P.C.; RABELO, M.C. Repensando os Estudos sobre Representações e práticas em saúde/doença. In: ALVES, PC. (Org.); RABELO, M.C. (Org). Antropologia da saúde: traçando identidade e explorando fronteiras [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ; Rio de Janeiro: Editora Relume Dumará, 1998.

BARNES, J. A. Networks and political process. In: SWARTZ, M. J. Local-level politics, ed. London: University of London Press, 1968, p. 107-130.

BASTIDE, R. As religiões Africanas no Brasil. 3a ed. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1989.

BASTIDE, R. Estudos Afro-Brasileiros. São Paulo: Perspectiva, 1973.

BLOCK, A. Coalitions in Scicilian peasant society. In: BOISSEVAIN, J. e CLYDE MITCHELL, J. (ed.) Network analisis: Studies in human interaction. Oaris: Mounton, 1973, p. 151-165.

CALLON, M. Techno-economic networks and irreversibility. In: LAW, J. (ed.) A sociology of monsters: Essays on power, technology, and domination. London: Routledge, 1991, p. 133-161.

CARVALHO, J. J. El Misticismo de los Espíritus Marginales. Brasília: Depto. de Antropologia/ Universidade de Brasília, 2001. (Série Antropologia, n. 294).

CARVALHO, J. J. The Mysticism of Marginal Spirits.. Brasília: Depto. de Antropologia/ Universidade de Brasília, 2000. (Série Antropologia, n. 276).

CARVALHO, J. J. Um Espaço Público encantado: Pluralidade Religiosa e Modernidade no Brasil.. Brasília: Depto. de Antropologia/ Universidade de Brasília, 1999. (Série Antropologia, n. 249).

CARVALHO, J. J. Ideias e Imagens no mundo clássico e na tradição afro-brasileira: uma visão iconográfi ca dos processos de sincretismo religioso. Caderno CEDEC, São Paulo, v. 10, p. 82-102, 1994.

DELEUZE, G. e GATARRI, F. O liso e o estriado. Mil Platôs: Capitalismo e esquizofrenia. Vol. 5. Tradução Aurélio Guerra, Ana Lúcia de Oliveira, Lúcia Claudia Leão e Suely Rolnik. São Paulo: ed. 34, 1997.

FERRETTI, S. F. Repensando o Sincretismo. São Paulo/São Luís: EDUSP/FAPEMA, 1995.

GOLDMAN, M. How to Learn in an Afro-Brazilian Spirit Possession Religion: Ontology and Multiplicity in Candomblé. In: BERLINDER, D. e SARRÓ, R. Learn Religion: Anthropological Approaches. New York/Oxford: Berghahn Books, 2007, p. 103-119.

INGOLD, T. (Org.). Key Debates in Anthropology. London and New York: Routledge, 1996.

LATOUR, B. Jamais fomos modernos: ensaio de Antropologia simétrica. Tradução Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro: Ed.34, 1994.

MITCHELL, J. C. Networks, norms and institution.. In: BOISSEVAIN, J. e CLYDE MITCHELL, J. (ed.) Network analisis: Studies in human interaction. Oaris: Mounton, 1973, p. 15-36.

MOL, A.; LAW, J. Regions, “Networks and Fluids: Anaemia and Social Topology”. Social Studies, v. 24, n. 4, p. 641-671, nov. 1994.

NASCIMENTO, A. do. O quilombismo. 2a ed. Brasília/Rio de Janeiro: Fundação Palmares/ OR Editor Produtor Editor, 2002.

RILES, A. The Network Inside Out. The University of Michigan Press, 2001.

SEGATO, R. L. Introduction. In: ALVARSON, J. A. e SEGATO, R. L. (Org.) Religions in Transition: Changing Religious Adhesions in a Merging World. Upsala: University of Uppsala Press, 2003.

SEGATO, R. L. Santo e Daimones: o politeísmo afro-brasileiro e a tradição arquetipal. Brasília: Editora UnB, 1995.

STRATHERN, M. “Cortando a rede”. O Efeito etnográfico e outros ensaios. Tradução de Iracema Dulley, Jamille Pinheiro e Luísa Valentine. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

WAGNER, R. A invenção da cultura. Trad. Marcela Coelho de Souza e Alexandre Morales. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

Downloads

Publicado

2015-10-10

Como Citar

Goltara, D. B. (2015). Dinâmicas comunitárias e espirituais: a rede esotérico-umbandista entre comunidades negras rurais às margens do Rio Itapemirim. RURIS (Campinas, Online), 9(1). https://doi.org/10.53000/rr.v9i1.2077

Edição

Seção

Dossiê: Movimentos e práticas de circulação em coletividades rurais