“Teve que mandar benzer”

sobre criação e benzimento de animais

Autores

  • Míriam Stefanuto Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.53000/rr.v13i1.4400

Palavras-chave:

Benzimento, Catolicismo, Criação de animais

Resumo

Neste artigo é abordada a prática do benzimento de animais em propriedades rurais do interior paulista. Amparado pela bibliografia sobre o tema, o texto discute os relatos de benzedores(as) e criadores de animais do município de Itaju a respeito do benzimento, obtidos durante entrevistas semiestruturadas realizadas durante pesquisa de campo. A partir daí, o artigo procura apresentar, primeiramente, como o benzimento é realizado tanto por benzedores(as) quanto por aqueles que procuram seus serviços, cujo papel está fundamentalmente associado à fé e, principalmente, que se trata de uma prática que constitui, junto de outras tarefas, o trabalho de cuidar das criações.

Biografia do Autor

Míriam Stefanuto, Universidade Federal de São Carlos

Doutoranda em Antropologia pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de São Carlos.

Referências

ALBUQUERQUE, Eduardo Basto de. Orações & rezas populares. Porto Alegre: Rigel, 2004.

ARAÚJO, Alceu Maynard de. Medicina Rústica. São Paulo: Brasiliana, 1979.

AUSTIN, John. Quando dizer é fazer. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.

BETHENCOURT, Francisco. O imaginário da magia: feiticeiras, adivinhos e curandeiros em Portugal no século XVI. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Fronteira da fé – Alguns sistemas de sentido, crenças e religiões no Brasil de hoje. Estudos Avançados, São Paulo, v. 18, n. 52, p. 261-288, set/dez. 2004.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O afeto da terra: imaginários, sensibilidades e motivações de relacionamentos com a natureza e o meio ambiente entre agricultores e criadores sitiantes do Bairro dos Pretos, nas encostas paulistas da serra da Mantiqueira, em Joanópolis. Campinas: Editora da Unicamp, 1999.

CÂNDIDO, Antonio. Os parceiros do Rio Bonito. São Paulo/Rio de Janeiro: edusp, 2017.

CANSI, Edison Rogerio; ATAÍDE, Hélio Spindola de; DEMO, Caroline; GONÇALVEZ, Rodrigo Gurgel & LUZ, José Roberto Pujol. As miíases no imaginário de uma população rural no município de Formosa (Goiás), Brasil. Revista Biotemas, v. 5, n. 4, p. 249-258, dezembro de 2012.

CASCUDO, Luis da Câmara. Dicionário do Folclore brasileiro. Ministério de Educação e Cultura, 1954.

DIGARD, JeanPierre. A biodiversidade doméstica. Anuário Antropológico, v. 37, n. 2, p. 205-223, 2012.

EVANS, Edward Payson. The criminal prosecution and capital punishment of animals: the lost history of Europe´s animal trials. London: Faber and Faber Ltd., 1987.

FARAGE, Nádia. As flores da fala: práticas retóricas entre os Wapishana. 1997. Tese (Doutorado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa), Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São Paulo: Global, 2004.

GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edimilson de Almeida. Assim se benze em Minas Gerais: um estudo sobre a cura através da palavra. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2004.

GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edimilson de Almeida. Mundo encaixado, significação da cultura popular. Juiz de Fora: Mazza Edições, 1992.

HOFFMANN-HOROCHOVSKI, Marisete T. Benzeduras, garrafadas e costuras: considerações sobre a prática da benzeção. Revista Guaju, v. 1, p. 110-126, 2015.

JURKEVICS, Vera Irene. Os santos da igreja e os santos do povo: devoções e manifestações de religiosidade popular. 2004. Tese (Doutorado em História). Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

LEERS, Bernardino O.F.M. Catolicismo popular e mundo rural, um ensaio pastoral. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 1977.

LOLLI, Pedro. Sopros de vida e destruição: composição e decomposição de pessoas. Revista de Antropologia, v. 56, n. 2, p. 365-396, 2013.

MAUSS, Marcel, 1981 [1909], “A prece”, em Marcel Mauss, Ensaios de Sociologia. São Paulo, Perspectiva.

MAYBLIN, M. Gender, catholicism, and morality in Brazil. London: Palgrave Macmillan, 2010.

MOURA, Elen Cristina Dias de. Entre ramos e rezas: o ritual de benzeção em São Luiz do Paraitinga, de 1950 a 2008. 2009. Dissertação (Mestrado em Ciência da Religião). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

NERY, Vanda Cunha. Rezas, Crenças, Simpatias e Benzeções: costumes e tradições do ritual de cura pela fé. VI Encontro dos Núcleos de Pesquisas da Intercom, p. 1-15, 2006.

OLIVEIRA, Elda Rizzo. Doença, cura e benzedura: estudo sobre o oficio da benzedeira em Campinas. Campinas: s.ed.,1983.

PEREIRA, Luzimar Paulo. Bicho Mau: “Causos” de homens e serpentes em Urucuia, MG. Trabalho apresentado na 30a Reunião Brasileira de Antropologia, realizada entre 3 a 6 de agosto, em João Pessoa/PB, 2016.

PRADO, Regina de P. S. Sobre a classificação dos funcionários religiosos da zona da Baixada Maranhense. In: MATTA, Roberto da (org.) Pesquisa polidisciplinar “Prelazia de Pinheiro”; aspectos antropológicos. São Luís: IPEI, 1975.

QUEIROZ, Mara Isaura de Pereira. O Catolicismo Rústico no Brasil. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 5, p. 104-123, 31 dez. 1968.

QUINTANA, Albert Manuel. A Ciência da Benzedura: mau olhado, simpatias e uma pitada de psicanálise. Bauru: EDUSC, 1999.

ROSA, Rogério Reus Gonçalves da. “Os Kujà são diferentes”: um estudo etnológico do complexo xamânico dos Kaingang da Tera Indígena Votouro. 2015. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

SALGADO, Lidiane Lizardo. Mutawarisá: benzimento entre os Baré de São Gabriel da Cahoeira – Alto Rio Negro. 2016. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social), Universidade Federal do Amazonas. Manaus.

SOUSA. Giuliano Glória de. Negros feiticeiros das Geraes. Práticas mágicas e cultos africanos em Minas Gerais, 1748-1800. 2011. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal de São João del-Rei. São João Del-Rei.

SOUZA, Laura de Mello e. O Diabo e a Terra de Santa Cruz. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

TUSSI, Ana Cristina; FÁVARO, Jorge Luiz; GOMES Marquiana de Freitas Vilas Boas. Tratamento de animais domésticos por meio de práticas tradicionais utilizadas em Faxinal do Kruger, Boa Ventura de São Roque – Paraná. Revista Pegada, v. 18, n.1, 2017.

Downloads

Publicado

2021-10-28

Como Citar

Stefanuto, M. (2021). “Teve que mandar benzer”: sobre criação e benzimento de animais. RURIS (Campinas, Online), 13(1), 67–96. https://doi.org/10.53000/rr.v13i1.4400

Edição

Seção

Artigos