Paisagem em festa

a procissão de Nossa Senhora dos Navegantes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.53000/rr.v13i2.4528

Palavras-chave:

Paisagem, Festa, Etnografia

Resumo

Festa tradicional que celebra a padroeira da aldeia Potiguara de Coqueirinho/PB, cujo apogeu é uma procissão de barcos até a vila de Barra de Mamanguape. Envolve milhares de pessoas de diversas cidades da região do vale do rio Mamanguape. Ocorre no segundo ou terceiro domingo de dezembro, dependendo da fase da maré e é organizada principalmente por pescadores. Uma diversidade de sentidos, gestos e corporalidades é notada no comportamento dos sujeitos e nas formas como traçam suas trajetórias pela festa. Uma etnografia fílmica (FRANCE, 2000) traz à discussão a relação entre festa (PEREZ, 2012) e paisagem, compreendendo as mesmas como sistemas abertos e fluidos (INGOLD, 2015).

Biografia do Autor

Oswaldo Giovannini Junior, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor de Antropologia na Universidade Federal da Paraíba.

Referências

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabellais. Brasília, DF, Ed. da UNB; São Paulo: Hucitec, 1987.

CARDOSO, Thiago Mota. Paisagens em transe: uma etnografia sobre poética e cosmopolítica dos lugares habitados pelos Pataxó no Monte Pascoal. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, 2016.

DAMATTA, Roberto. Carnavais Malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro, Zahar, 1983.

CARDOSO, Thiago Mota e GUIMARÃES, Gabriela Casimiro (orgs). Etnomapeamento dos Potiguara da Paraíba. Brasília, FUNAI/CGMT/CGETNO/CGGAM, 2012.

CARDOSO, Vânia; GONÇALVES, Marco Antônio; MARQUES, Roberto. Etnobiografia: subjetivação e etnografia. Rio de Janeiro: Viveiros de Castro ed., 2012.

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro e GONÇALVES, José Reginaldo Santos. A festa e os dias: ritos e sociabilidades festivas. Rio de Janeiro, Contracapa, 2009.

CSORDAS, Thomas. Corpo, significado, cura. Porto Alegre: URGS, 2008.

DEVOS, Rafael Vitorino; VEDANA, Viviane; BARBOSA, Gabriel Coutinho. Paisagens como panorama e ritmos audiovisuais: percepção ambiental na pesca da tainha. Revista Giz. São Paulo, USP, 2016.

DUVIGNAUD, Jean. Festas e civilizações. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1983.

FRANCE, Claudine. Cinema e antropologia. Campinas: Editora da Unicamp, 1998.

FRANCE, Claudine. Antropologia fílmica. Uma gênese difícil, mas promissora. In: Do filme etnográfico à antropologia fílmica. Claudine de France (org), Campinas: Editora da UNICAMP, 2000.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. São Paulo, Martins Fontes, 1981.

GIOVANNINI JUNIOR, Oswaldo. Cidade Presépio em tempos de Paixão. Turismo e religião: tensão, negociação e inversão na cidade histórica de Tiradentes. In: BANDUCCI e BARRETO (org). Turismo e identidade local. Uma visão antropológica. Campinas, Papirus, 2001.

HIRSCH, Eric e O’HANLON, Michael. Anthropology of landscape. Oxford University Press, 1995.

ICMBIO. Plano de Manejo: APA Mamanguape. Brasília, 2014.

INGOLD, Tim. Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais. In: Horizontes Antropológicos, ano 18, n 37. Porto Alegre, 2012.

INGOLD, Tim. Lineas: una breve historia. Barcelona, Editorial Gedisa, 2015a.

INGOLD, Tim. Estar vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Petrópolis: Vozes, 2015b.

LEVIATHAN. 2012. Direção: Véréna Paravel e Lucien Castaing-Taylor. 87 minutes/DCP/1.85:1/Dolby 5.1/USA/France/UK.

MALINOWSKI, Bronislaw. Argonautas do Pacífico Ocidental. Coleção Os Pensadores. Malinowski. Abril Cultural, São Paulo, 1978.

MARQUES, Roberto. Cariri eletrônico: paisagens sonoras no Nordeste. São Paulo, Intermeios, 2015.

MARTIN, Marcel. A linguagem cinematográfica. Lisboa, editora Dinalivros, 2005.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva. Forma e razão da troca nas sociedades arcaicas. In: Sociologia e Antropologia. V II São Paulo Edusp, 1974.

PRELLORÁN, Jorge. Conceitos éticos e estéticos no cinema etnográfico. Caderno de textos – Antropologia Visual. Rio de Janeiro: Museu do Índio, 1987.

ORO, Ari Pedro e DOS ANJOS, José Carlos Gomes. Festa de Nossa Senhora dos Navegantes em Porto Alegre: sincretismo entre Maria e Iemanjá. Porto Alegre, SMC, 2009.

PEREIRA, Antônio Alberto [et al.] (orgs). História, cultura e sustentabilidade do Vale do Mamanguape: livro paradidático para educação básica. João Pessoa, Editora UFPB, 2020.

PEREZ, Lea Freitas. Festa para além da festa. In: PEREZ, AMARAL e MESQUITA (orgs). Festa como perspectiva e em perspectiva. Rio de Janeiro, Garamond, 2012.

SANCHIS, Pierre. A caminhada ritual. In: Religião e Sociedade, n. 9. Rio de Janeiro, 1983.

SILVEIRA, Pedro Castelo Branco. Etnografia da paisagem: natureza, cultura e hibridismo em São Luiz do Paraitinga. Tese (doutorado). Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Campinas, 2008.

STEIL. Carlos Alberto e CARNEIRO, Sandra Sá. Caminhos de Santiago no Brasil: interfaces entre turismo e religião. Rio de Janeiro: Contracapa, Faperj, 2011.

STEIL. Carlos Alberto e CARNEIRO, Sandra Sá. O sertão das romarias. Um estudo antropológico sobre o santuário de Bom Jesus da Lapa – Bahia. Petrópolis: Vozes, 1996.

TSING, Anna Lowenhaulpt. Viver nas ruínas: paisagens multiespécies no antropoceno. Brasília, IEM Mil folhas, 2019.

VER PEIXE. 2017. Direção: Rafael Devos, Viviane Vedana e Gabriel Coutinho. 46 minutos. DVD/4. Florianópolis, Brasil.

Downloads

Publicado

2022-08-04

Como Citar

Junior, O. G. (2022). Paisagem em festa: a procissão de Nossa Senhora dos Navegantes. RURIS (Campinas, Online), 13(2), 167–198. https://doi.org/10.53000/rr.v13i2.4528