"Se eu soubesse"

os dons, as dívidas e suas equivalências

Autores

  • Lygia Sigaud Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.53000/rr.v1i2.655

Palavras-chave:

Trocas, Dívidas, Direito, Pernambuco

Resumo

O artigo focaliza um momento de interrupção das trocas nas grandes plantações da mata pernambucana, com o objetivo de examinar como os dons se tornaram objeto de cálculos monetários. O fio condutor é o relato de um trabalhador a respeito da ruptura das relações com seu patrão, que atesta uma mudança nos modos de pôr fim às relações. Após reinscrever a narrativa na história recente das plantações, a autora analisa as transformações que favoreceram a contabilização dos dons, as equivalências estabelecidas, seu significado para os envolvidos na transação e as implicações para os estudos sobre troca e direito.

Biografia do Autor

Lygia Sigaud, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Ciências Humanas. Professora do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

ANDRADE, Manuel Correia de. A terra e o homem no Nordeste. São Paulo: Brasiliense, 1964.

BELLO, Julio. [1938] Memórias de um senhor de engenho. Recife: Fundape, 1985.

BEZERRA, Gregório. Memórias. Segunda parte: 1946-1969. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

BOLTANSKI, Luc. Les cadres: la formation d’un groupe social. Paris: Minuit, 1982.

BOURDIEU, Pierre. Le sens pratique. Paris: Minuit, 1980.

CALLADO, Antonio. Tempo de Arraes. Rio de Janeiro: José Álvaro Editora, 1964.

CARRIER, James. Gifts and commodities: exchange and Western capitalism since 1700. Londres: Routlegde, 1995.

CARRIER, James. Introduction. In: CARRIER, J. (Org.). Occidentalism. Images of the West. Oxford: Clarendon Press, 1995a, p. 1-32.

CASTRO, João Paulo Macedo; CORRÊA, José Gabriel Silveira. “Ajudar o povo em dificuldade”: a Prefeitura e as inundações da Rua da Lama. In: L’ESTOILE, B. e SIGAUD, L. (Orgs.). Ocupações de terra e transformações sociais. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2006, p. 121-136.

CATENDE (Ed.). O homem e a terra na Usina Catende, 1941.

CORREA DE OLIVEIRA, João Alfredo. Minha meninice & outros ensaios. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 1988.

DURKHEIM, Emile; MAUSS, Marcel.[1903] De quelques formes primitives de classification. In: MAUSS, M. Oeuvres. Paris: Minuit, 1968, t. 2, p. 13-89.

ELIAS, Norbert. [1969] La société de cour. Paris: Flammarion, 1985.

FIRTH, Raymond. [1929] Economics of the New Zealand Maori. Wellington: Owen, Government Print, 1959.

FURTADO, Celso. A dialética do desenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1964.

GARCIA JR., Afrânio. O Sul, caminho do roçado. São Paulo: Marco Zero, 1991.

GREGORY, Chris. Gifts and commodities. Londres: Academic Press, 1982.

HEREDIA, Beatriz. Formas de dominação e espaço social. A modernização da agroindústria açucareira em Alagoas. São Paulo: Marco Zero, 1989.

HIRSCHMAN, Albert. Exit, voice and loyalty. Reponses to decline in firms, organizations and States. Cambridge: Harvard University Press, 1970.

LATOUR, Bruno. La fabrique du droit. Une ethnographie du Conseil d’État. Paris: La Découverte, 2002.

LEACH, Edmund. Rethinking anthropology. Londres: The Athlone Press, 1961.

LEACH, Edmund. Social anthropology. Nova York, Oxford: Oxford University Press, 1982.

LEACH, Edmund. [1954] Sistemas políticos na Alta Birmânia. São Paulo: Edusp, 1996.

LÉVI-STRAUSS, Claude. [1949] Les structures élémentaires de la parenté. Paris: Mouton, 1967.

MALINOWSKI, Bronislaw. Coral gardens and their magic. Londres: George Allen & Unwin Ltd., 1935.

MALINOWSKI, Bronislaw. [1926] Crime and custom in savage society. Londres: Routledge and Keagan Paul Ltd., 1970.

MAUSS, Marcel. [1923-1924] Ensaio sobre a dádiva. Forma e razão da troca nas sociedades arcaicas. Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2003, p. 185-324.

NABUCO, Joaquim. [1900] Minha formação.Porto Alegre: Paraula, 1995.

NOVAES, Regina. De corpo e alma: catolicismo, classes sociais e conflitos no campo. Rio de Janeiro: Graphia, 1997.

PALMEIRA, Moacir. Casa e trabalho: notas sobre as relações sociais na plantation tradicional. Contraponto, v. 2, n. 2, p. 103-114, nov. 1977.

PALMEIRA, Moacir. The aftermath of peasant mobilization: rural conflicts in the Brazilian Northeast since 1964. In: AGUIAR, N. (Org.). The structure of Brazilian development. Nova York: Transaction Books, 1979, p. 71-98.

PRADO JR., Caio. [1964] Marcha da questão agrária no Brasil. A questão agrária no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1979, p. 161-172.

SIGAUD, Lygia. A morte do caboclo. Um estudo sobre sistemas classificatórios. Boletim do Museu Nacional, Nova Série, Antropologia, Rio de Janeiro, v. 30, p. 1-29, dez. 1978.

SIGAUD, Lygia. Os clandestinos e os direitos. São Paulo: Duas Cidades, 1979b.

SIGAUD, Lygia. Des plantations aux villes: les ambigüités d’un choix. Etudes Rurales, n. 131-132, p. 19-37, jul.-dez. 1993.

SIGAUD, Lygia. Direito e coerção moral no mundo dos engenhos. Estudos Históricos, v. 9, n. 18, p. 361-388, 1996.

SIGAUD, Lygia. Les paysans et le droit: le mode juridique de règlement de conflits. Social Science Information, v. 38, n. 1, p. 113-147, mar. 1999.

SIGAUD, Lygia. Armadilhas da honra e do perdão: usos sociais do direito na mata pernambucana. Mana. Estudos de Antropologia Social, v. 10, n. 1, p. 131-163, abr. 2004.

STRATHERN, Marilyn. The gender of the gift. Berkeley, Los Angeles: University of California Press, 1988.

THOMAS, Nicholas. Entangled objects. Cambridge, Londres: Harvard University Press, 1991.

WEBER, Florence. Le travail à côté. Paris: INRA/EHESS, 1989.

WEBER, Max. [1922] Economia y sociedad. México: Fondo de Cultura Económica, 1964.

WEBER, Max. [1913] Essai sur quelques catégories de la sociologie compréhensive. Essais sur la théorie de la science. Paris: Plon, 1965.

WILKIE, Mary. A report on rural syndicates in Pernambuco. Rio de Janeiro, Centro Latino-Americano de Pesquisas em Ciências Sociais, 1964, mimeo.

Downloads

Publicado

2012-04-28

Como Citar

Sigaud, L. (2012). "Se eu soubesse": os dons, as dívidas e suas equivalências. RURIS (Campinas, Online), 1(2). https://doi.org/10.53000/rr.v1i2.655

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)