Povos indígenas, escolas e histórias: uma abertura para a interculturalidade

Autores

  • Juliana Schneider Medeiros
  • Claudia Pereira Antunes

Resumo

O texto discute a Lei 11.645/2008, que estabelece a obrigatoriedade do estudo da história e cultura indígenas, como uma possibilidade de interculturalidade nas escolas não indígenas. Os povos indígenas vivem entre dois mundos, e a escola ocupa um espaço particular nessas relações interculturais. Apresentamos experiências de uma escola Kaingang, principalmente, a partir dos conflitos relativos ao ensino de histórias Kaingang dentro da escola. Essas experiências podem servir de inspiração para que a escola não indígena estabeleça relações de diálogo com os povos indígenas, de modo a incluir conteúdos relativos a essa temática na sala de aula.

Downloads

Publicado

2015-02-09

Como Citar

Medeiros, J. S., & Antunes, C. P. (2015). Povos indígenas, escolas e histórias: uma abertura para a interculturalidade. História Social, 2(25), 225–246. Recuperado de https://ojs.ifch.unicamp.br/index.php/rhs/article/view/1844