Apontamentos sobre a autonomia social da arte

Autores

  • Artur Freitas UFP

Resumo

Partindo sobretudo da noção teórica de “campo social”, proposta por Pierre Bourdieu, este artigo pretende salientar certos problemas relativos à noção de autonomia da arte, principalmente quando esta é pensada em função de conjunturas históricas diversas daquela para a qual foi criada. Assim, sabendo que a expressão “autonomia do campo artístico” descreve o momento de formação do espaço social de uma arte que é, ao mesmo tempo,

moderna e européia , pretende-se nesse texto justamente pôr à prova tal noção ao testar-se sua eventual aplicabilidade a duas conjunturas históricas distintas: a da formação da arte moderna no Brasil, e a da recente relação arte-mercado, no âmbito da arte contemporânea.

Biografia do Autor

Artur Freitas, UFP

Doutorando em História pela Universidade Federal do Paraná. Mestre em História pela mesma instituição

Downloads

Como Citar

Freitas, A. (2011). Apontamentos sobre a autonomia social da arte. História Social, (11), 115–134. Recuperado de https://ojs.ifch.unicamp.br/index.php/rhs/article/view/166

Edição

Seção

Dossiê