Os intelectuais, o nacional e o popular (Rio de Janeiro, 1890-1910)

Autores

  • Magali Gouveia Engel UFF

Resumo

O presente artigo trata das relações entre as visões do popular e os projetos de nação, construídas e/ou veiculadas, explícita ou implicitamente, em crônicas de Olavo Bilac, nas quais são privilegiados temas relacionados à cidade, à política, à cidadania e à nação. Confrontando as posições do referido cronista com as defendidas por Machado de Assis, Coelho Netto e Lima Barreto pretendemos identificar e discutir as divergências e convergências entre diferentes interpretações da realidade brasileira de fins do século XIX e início do XX, bem como distintas percepções do papel político do intelectual.

Biografia do Autor

Magali Gouveia Engel, UFF

Doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas. Professora do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense.

Downloads

Como Citar

Engel, M. G. (2011). Os intelectuais, o nacional e o popular (Rio de Janeiro, 1890-1910). História Social, (11), 211–226. Recuperado de https://ojs.ifch.unicamp.br/index.php/rhs/article/view/171

Edição

Seção

Dossiê