Das matinas aos toques de recolher e vice-versa: dimensões sonoras e socioculturais dos sinos na cidade de São Paulo (meados do século XIX/início do XX)

Autores

  • Nelson Aprobato Filho FFLCH- USP

Resumo

Na São Paulo de meados do século XIX até as primeiras décadas do XX, dentre as numerosas camadas sonoras que se propagavam pelos espaços públicos e privados da cidade, aquelas produzidas pelos sinos, principalmente das igrejas, alcançavam projeções de destaque nas relações, práticas e trocas cotidianas. Seja como elemento ligado à tradição religiosa; seja como forma eficaz de comunicação urbana; seja, enfim, como fenômeno de fortes conotações simbólicas e socioculturais, os sinos e suas difusas e intrincadas dimensões sonoro-perceptivas tiveram presença marcante e singular importância na história da capital paulista.

Biografia do Autor

Nelson Aprobato Filho, FFLCH- USP

Mestre e doutorando em História Social pela FFLCH-USP.

Downloads

Como Citar

Filho, N. A. (2011). Das matinas aos toques de recolher e vice-versa: dimensões sonoras e socioculturais dos sinos na cidade de São Paulo (meados do século XIX/início do XX). História Social, (11), 135–152. Recuperado de https://ojs.ifch.unicamp.br/index.php/rhs/article/view/167

Edição

Seção

Dossiê